5 piores erros que você comete na hora de malhar

Errar não é algo que nos agrade muito, afinal é típico do ser humano buscar o máximo de perfeição. Isso quer dizer que errar no que gostamos de fazer ou errar não conseguindo concluir o que desejamos é algo frustrante e que é constantemente evitado. Apesar disso, se há algo com que podemos certamente concordar é que muitos dos erros podem ser sinônimo de aprendizado, fazendo com que através da reflexão e da mudança de princípios se consiga ser melhor naquele ponto.

Diante disso, separamos os 5 erros mais comuns na hora da prática que você deve evitar.

1- Não comer

Estando mal alimentado, o atleta pode sentir fraquezas, tonturas e falta de energia, afetando não só o desempenho como também  a saúde no geral. Para garantir o bem-estar e obter os melhores resultados, é preciso se alimentar adequadamente antes e depois da atividade física. Ficar em jejum no momento em que os músculos estão se recuperando está na lista de erros. Treinar em jejum faz com que o corpo queime massa magra em vez de gorduras. Por outro lado, se exercitar de estômago cheio pode levar a enjoo, náuseas e mal-estar, além de atrapalhar bastante tanto a digestão quanto a prática dos exercícios. Espere pelo menos 2h depois de comer uma refeição completa para começar o treino.

2- Não beber água

Outro erro comum que as pessoas cometem depois da atividade física é não beber água. A ingestão adequada de líquidos antes, durante e após o exercício é fundamental para a saúde e a performance. Sentir sede durante a atividade física já é um sinal de desidratação. A desidratação (perda de água, redução de 2 a 3% do peso corporal inicial) diminui o desempenho no exercício. O novo consenso é utilizar a sensação de sede para se hidratar – o problema é que, muitas vezes, a ignoramos e fazemos uma desidratação voluntária. A recomendação atual de ingestão é de 400 a 800 ml de líquidos por hora de exercício. Líquidos contendo álcool ou cafeína (café, chás ou colas), assim como as bebidas carbonadas (refrigerantes), não são indicados para hidratação pós-exercício.

3 – Repetir a mesma rotina

É muito bom fazer algo em que a gente manda bem. Mas repetir os mesmos tipos de exercícios pode frustrá-la e pior ainda, machucá-la. Isso pode causar uma lesão por estresse na musculatura. O corpo se ‘acostuma’ e os resultados param de aparecer. Não recomendo fazer a mesma coisa todos os dias, seja aeróbico ou musculação.

Além de dinamizar a rotina, mudar o plano de malhação te dá novos desafios e varia os grupos musculares que você trabalha, Quer barriga sequinha à la Iza Goulart? Aqueles 300 abdominais podem dar lugar a exercícios como a prancha.

Procure um personal trainer ou o instrutor da sua academia e bata um papo sobre seus objetivos e os exercícios que você pode fazer para otimizar o suor.

4 – Dividir o treino em várias partes e não ir muito à academia

É comum quem malha ter um programa de treino no formato ABC. Nele, você trabalha dois ou três grupos musculares por dia. O método é ótimo para quem tem boa frequência na academia. Mas se você só pode fazer musculação duas ou três vezes na semana, é melhor executar uma série completa, com exercícios para todo o corpo.

Se não for muito à academia, com um treino ABC, você vai malhar peito em um dia, por exemplo, e pode demorar até duas semanas para voltar a trabalhar a região. Com um programa completo, é possível exercitar todos os músculos pelo menos duas vezes na semana — e evoluir!

5 – Não dar importância à Refeição Pré-Treino

O corpo humano é mais forte do que pensamos, porém, existem pessoas que acreditam que a refeição pós-treino é a mais importante. Isto, porém, não é verdade. Após uma noite de sono, com o corpo descansado você precisará estar bem alimentado para começar seu treino, pois é durante e depois do treinamento que o corpo se alimenta dos nutrientes necessários para a construção da massa muscular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 3 =